O que é Ayahusca?

DMT a molécula do espírito

A Ayahuasca (yagé) é um líquido, chá fermentado, obtido em um processo semelhante ao feitio do vinho, daí também ser conhecido como "Vinho das Almas". É um elixir resultante da decocção de dois vegetais, o Jagube ou também conhecido por Mariri (Banisteriopsis Caapi) que é um cipó, e a Chacrona ou Rainha da Floresta (Psycotria Viridis) que é um arbusto parente longe do café onde se usa apenas as folhas. O jagube é de energia masculina, é um vegetal regido pela Força e seu trabalho na natureza é ensinar o relexamento, por sua vez a Chacrona é a energia feminina, regida pelo Amor e ensina a concentração para a abertura, a visão, a lucidez. Em testes psiquiátricos constatou-se que os utilizadores da ayahuasca mostravam-se reflexivos, resistentes, leais, calmos, ordeiros, persistentes, despreocupados e confiantes em si mesmo.

As visões que se obtém com a Ayahuasca são estados ampliados de consciência, diferentes dos estados alucinativos psiquiátricos, pois estas, cientificamente só podem pertencer ao alucinado (Alucinação: efeito alienante e de distorção da persepção), sendo patologicamente individual, diferente do que ocorre nas práticas com a Ayahuasca, onde varias pessoas podem observar os mesmos fenômenos não visiveis aos olhos físicos da mesma maneira e ao mesmo tempo, e cientificamente não podem ser catalogados como alucinação. Não havendo assim critérios científicos para alucinação coletiva, a Ayahuasca não pode ser catalogada como substância alucinógena, porém sim é uma substância Enteógena (Gerador da dinvidade Interna) que une ao astral Superior.

Uma das duvidas frequentes é se a Ayahuasca é droga e novamente os embasamentos científicos são necessários para estabelecer quando uma substância é considerada droga ou não, e as pesquisas laboratoriais mostram com precisão que, ela não pode ser considerada droga por não ter concentração química necessaria para causar qualquer tipo de efeito alucinógeno.

Interessante saber é que as mesmas normas médico-científicas que provaram claramente que a maconha (Cannabis - Santa Maria) é sim uma droga, e é nociva, que vicia e mata os neurônios cerebrais do usuário, e nem estamos citando cocaína, que utilizam com o nome de Santa clara, nem o crack com o nome de São Pedro, provaram também claramente que a Ayahuasca não é uma droga, tanto que o nosso sistema nervoso produz naturalmente a enzima chamada de Monoaminoxidase (MAO) em nosso organismo, contudo o Mariri tem como um de seus componentes os alcalóides Beta-Carbolíneos (Harmina e Harmalina) que anulam a ação da MAO, o que permite a ação do DMT provindo das folhas da Chacrona. Esta baixissima concentração de DMT em conjunto com a serotonina orgânica resulta em um elevado estado de concentração mental, similaridade química é a mesma dos estados estados meditativos orientais.

A diferença de veneno e um remédio se encontra exatamente na concentração de um elemento químico em uma determinada substância, pois mesmo um remédio ou alimento simples se ingerido em concentração maior, pode causar males ao organismo. Pelas leis científicas, uma substância que contenha o DMT precisa conter ao menos 2% desta substância para ser enquadrada como droga alucinógena, e no caso da Ayahuasca o percentual é de apenas 0,02%, e sendo a dose média de utilização da Ayahuasca de no máximo de 180 ml ( 100 vezes menor que a taxa mínima necessaria para ser considerada alucinógena), ela não pode ser catalogada como tal pelos orgãos fiscalizadores. Há que se enteder isto, como exemplo, há uma grande diferença entre tomar ate quatro xícaras de café diariamente, o que auxilia o coração, a tomar quatro garrafas de café, o que pode conduzir a dependência, taquicardia, aumento da pressão sanguínea entre outros, devido à presença do principio ativo da Cafeína.

Toda substância possui uma DOSE LETAL (DL), até a água pura a possui, DL = 10 litros, ou seja, se uma pessoa ingerir 10 liitros de água pura em uma única vez, corre perigo de óbito. Os estudos com a Ayahuasca definiram que para ocorrer risco seriam necessarios ingerir de uma só vez 7,8 litros dela, entretanto sua utilização prática é o equivalente a quatro copinhos descartáveis de café, 39 vezes menos que sua DL.

Após 18 anos de estudos, o CONAD (Conselho Nacional Antidrogas) do Brasil, retirou a Ayahuasca da lista de drogas alucinógenas conforme portaria publicada no Diário Oficial da União em 10/11/2004 e a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiram (em 20/02/2006) que o governo Bush não poderia impedir uma instituição brasileira no Novo México de utilizar a Ayahuasca em seus rituais religiosos.

Esclarecemos publicamente que Ayahuasca NÃO é droga, NÃO causa alucinações de qualquer espécie, NEM gera dependência física ou psicologica, e sua utilização ritualística é autorizada pelo Governo Federal, conforme Diário Oficial da União de 26 de janeiro de 2010, ASSIM qualquer pessoa que afirme que Ayahuasca é Droga, está afrontando as Leis Brasileiras. Portanto isso além de afronto cultural é por si um preconceito criado pela sociedade que não se aprofundou nos estudos científicos aqui mencionados ou por outros meios de divulgação médico-científica.